Previstos
  Inscrições abertas
  Lista completa
  Cursos
  Editais
  Provas
  Material indicado
  Livros e Apostilas
  Notícias
  Depoimentos
  Simulados
  Links
  Fale conosco

Indique este site!

e-Bit

  :: Livros e Apostilas

Contabilidade de Custos

Autor: Eliseu Martins
Editora: Atlas
Compartilhe essa página com seus amigos.
   Descrição
   Sumário
   Dados técnicos
   Prazo de entrega
Preços sujeitos a alterações sem aviso prévio.
Preço válido somente para compras na Internet.
De: R$ 131,00
Por: R$ 104,80
Economize: R$ 26,20
Atendimento on-line

  :: Descrição do produto

A novidade desta décima edição é a adaptação de seu texto às disposições dos Pronunciamentos Técnicos CPC, especialmente do CPC 16, que trata da valoração de estoques, e das Leis nºs 11.638 e 11.941.

Ajustado às mais recentes evoluções conceituais e às novas tendências de utilização da Contabilidade de Custos para fins decisórios, gerenciais, este texto reúne uma série de características que o diferenciam positivamente da bibliografia disponível.

A primeira entre essas características é torná-lo particularmente apropriado para a realidade brasileira, uma vez que está voltado para as situações típicas observadas no País, para seus institutos legais, para as condições organizacionais prevalecentes no meio empresarial. Assim, ao tratar dos critérios técnicos e legais relacionados, por exemplo, à contabilização dos custos da mão de obra e dos impostos, o texto refere-se explicitamente às condições brasileiras, destacando os principais aspectos relacionados aos encargos sociais existentes no País e aos dois principais tributos indiretos, o ICMS e o IPI. Ademais, foram também consideradas pelo autor as regras implícitas na Lei das Sociedades por Ações relacionadas à operacionalização contábil dos custos.

Uma segunda característica do texto é a análise dedicada ao uso da Contabilidade de Custos como instrumento para fins gerenciais. Outra característica a destacar é o enfoque dado à utilização da Contabilidade de Custos para as funções de planejamento e controle, relacionadas ao estabelecimento de padrões, orçamentos e outras formas de previsão, com vistas ao subsequente acompanhamento e análise das variações observadas. Além dos critérios usuais dos sistemas de custo-padrão, o autor desenvolveu modelos para fixar padrões de custos indiretos por unidade. Finalmente, o texto traz uma avaliação crítica da implantação de sistemas de custos. A partir de uma abordagem realística, foram destacadas as principais barreiras e reações comportamentais às tentativas de implantação e os custos e benefícios dos diferentes sistemas disponíveis.

Livro-texto para a disciplina Contabilidade de Custos dos cursos de Administração e Ciências Contábeis. Leitura de formação e atualização profissional. Obra de referência para cursos especiais.


   :: Sumário do produto

Parte I - Introdução à Contabilidade de Custos

1   A CONTABILIDADE DE CUSTOS, A CONTABILIDADE FINANCEIRA E A CONTABILIDADE GERENCIAL
   1.1   Da contabilidade financeira à de custos
   1.2   Princípios básicos da contabilidade de custos industrial
   1.3   Da contabilidade de custos à contabilidade gerencial
   1.4   A moderna contabilidade de custos em empresas não industriais
   Resumo
   Exercício proposto

2   TERMINOLOGIA CONTÁBIL BÁSICA
   2.1   Terminologia em custos industriais
   2.2   A Terminologia em entidades não industriais
   2.3   A Terminologia neste livro
   Resumo
   Exercício proposto

Parte II - Princípios para Avaliação de Estoques

3   PRINCÍPIOS CONTÁBEIS APLICADOS A CUSTOS
   3.1   Alguns princípios contábeis aplicados à contabilidade de custos
      3.1.1   Princípio da realização da receita
      3.1.2   Princípio da competência ou da confrontação entre despesas e receitas
      3.1.3   Princípio do custo histórico como base de valor
      3.1.4   Consistência ou uniformidade
      3.1.5   Conservadorismo ou prudência
      3.1.6   Materialidade ou relevância
   3.2   Custeio por absorção
   3.3   O problema específico dos encargos financeiros
   3.4   A difícil separação, na prática, de custos e despesas
   3.5   Onde terminam os custos de produção
   3.6   Os gastos de pesquisa e desenvolvimento de produtos novos
   3.7   Gastos dentro da produção que não são custos
   Resumo
   Exercício proposto

4   ALGUMAS CLASSIFICAÇÕES NOMENCLATURAS DE CUSTOS
   4.1   Demonstração de resultados da indústria
   4.2   Classificação dos custos em diretos e indiretos
   4.3   Outra classificação dos custos: fixos e variáveis
   4.4   Outras nomenclaturas de custos
   Resumo
   Exercício proposto

5   ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS (I)
   5.1   1º Passo: a separação entre custos e despesas
   5.2   2º Passo: a apropriação dos custos diretos
   5.3   3º Passo: a apropriação dos custos indiretos
   5.4   Esquema básico
   5.5   Contabilização dos custos
   Resumo
   Exercício proposto

6   ESQUEMA BÁSICO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS (II) - DEPARTAMENTALIZAÇÃO
   6.1   Por que departamentalizar
   6.2   Que é departamento e como se classifica
   6.3   Departamento e centro de custos
   6.4   Custos dos departamentos de serviços
   6.5   Esquema completo da contabilidade de custos
   6.6   Síntese do esquema básico completo
   6.7   Contabilização dos custos indiretos de produção
   Resumo
   Exercício proposto

7   CRITÉRIO DE RATEIO DOS CUSTOS INDIRETOS
   7.1   Análise dos critérios de rateio - custos comuns
   7.2   Rateio dos custos dos departamentos
   7.3   Influência dos custos fixos e dos custos variáveis
   7.4   Importância da consistência nos critérios
   7.5   Conciliação entre custos e contabilidade financeira
   Resumo
   Exercício proposto

8   CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES (ABC) - ABORDAGEM INICIAL
   8.1   Importância do custeio baseado em atividades
   8.2   Caracterização do problema
   8.3   Atribuição dos CIP diretamente aos produtos - sem departamentalização
   8.4   Solução com departamentalização
   8.5   Aplicação do ABC à solução do problema
      8.5.1   Identificação das atividades relevantes
      8.5.2   Atribuição de custos às atividades
      8.5.3   Identificação e seleção dos direcionadores de custos
      8.5.4   Atribuindo custos dos recursos às atividades no modelo apresentado
      8.5.5   Atribuição dos custos das atividades aos produtos
      8.5.6   Uma comparação dos resultados
   Resumo
   Exercício proposto

9   APLICAÇÃO DE CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇÃO
   9.1   Previsão da taxa de aplicação de CIP
   9.2   Contabilização dos CIP aplicados
   9.3   Variação entre CIP aplicados e reais
   9.4   Uso dos CIP aplicados durante o exercício
   9.5   Análise das variações entre CIP aplicados e reais
   9.6   Considerações acerca da previsão do volume
   9.7   Previsão das taxas de serviços
   9.8   Evolução tecnológica na contabilidade e uso dos custos indiretos aplicados
   9.9   Presença de altas taxas de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

10   MATERIAIS DIRETOS
   10.1   O que integra o valor dos materiais
   10.2   Critérios de avaliação dos materiais: o preço médio
   10.3   Critérios de avaliação dos materiais: PEPS (FIFO)
   10.4   Critérios de avaliação dos materiais: UEPS (LIFO)
   10.5   Critérios de avaliação dos materiais: combinações e sumário
   10.6   Tratamento contábil das perdas de materiais
   10.7   Tratamento contábil dos subprodutos e das sucatas
   10.8   Impostos na aquisição de materiais: o IPI
   10.9   Impostos na aquisição de materiais: o ICMS
   10.10   Problema da alta taxa de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

11   MÃO-DE-OBRA DIRETA
   11.1   Exemplos de separação entre mão-de-obra direta e indireta
   11.2   Mão-de-obra direta: custo variável?
   11.3   O que integra o custo da mão-de-obra direta
   11.4   Compatibilização com a contabilidade geral (ou financeira): típico problema brasileiro
   11.5   Problema da inflação alta e as provisões
   11.6   Tempo não produtivo da mão-de-obra direta
   11.7   Adicional de horas extras e outros adicionais
   11.8   Outros gastos decorrentes da mão-de-obra
   11.9   Apontamento da mão-de-obra direta
   Resumo
   Exercício proposto

12   PROBLEMAS ESPECIAIS DA PRODUÇÃO POR ORDEM: CUSTEIO E ORDENS DE ENCOMENDAS
   12.1   Distinção entre produtos por ordem e produção contínua
   12.2   Diferenças no tratamento contábil
   12.3   Contabilização na produção por ordem - danificações
   12.4   Encomendas de longo prazo de execução
   12.5   Alta inflação
   Resumo
   Exercício proposto

13   PROBLEMAS ESPECIAIS DA PRODUÇÃO CONTÍNUA: CUSTEIO POR PROCESSO
   13.1   Equivalente de produção
   13.2   PEPS (FIFO) e custo médio na produção contínua
   13.3   Equivalente de produção: caso mais complexo
   13.4   Variações nas quantidades de produção
   13.5   Contabilização e problema das quantidades físicas
   Resumo
   Exercício proposto

14   PRODUÇÃO CONJUNTA E PROBLEMAS FISCAIS NA AVALIAÇÃO DE ESTOQUES INDUSTRIAIS: CUSTOS CONJUNTOS
   14.1   Distinção entre co-produtos, subprodutos e sucatas
   14.2   Apropriação dos custos conjuntos aos co-produtos
   14.3   Principais critérios de apropriação dos custos conjuntos
   14.4   Problemas fiscais com relação à contabilidade de custos
   14.5   Conceito fiscal de custeio por absorção
   14.6   Critérios de avaliação dos estoques
   14.7   Coordenação e integração entre as contabilidades geral e de custos
   14.8   Valor arbitado e princípios contábeis
   14.9   Um enorme problema: a inflação
   Resumo
   Exercício proposto

Parte III - Custos para Decisão

15   CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO
   15.1   Problema da alocação dos custos indiretos fixos
   15.2   Conceito de margem de contribuição
   15.3   Uma forma alternativa de demonstrar o resultado
   15.4   Outra aplicação da margem de contribuição para fins decisoriais
   15.5   Mais um exemplo do uso da margem de contribuição
   15.6   Decisão com taxas de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

16   MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO E LIMITAÇÕES NA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
   16.1   Margem de contribuição antes da existência de limitações
   16.2   Existência das limitações na capacidade produtiva
   16.3   Comprovação da utilização do critério correto
   16.4   Margem de contribuição e fator de limitação
   16.5   Outro exemplo de limitação na capacidade produtiva
   16.6   Existência de diversos fatores limitantes
   16.7   Teoria das restrições
   16.8   Alocação de custo fixo e decisão
   Resumo
   Exercício proposto

17   CUSTEIO VARIÁVEL
   17.1   Custeio variável
   17.2   Exemplo da distinção entre custeio variável e por absorção
   17.3   Razões do não-uso do custeio variável nos balanços
   Resumo
   Exercício proposto

18   MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO, CUSTOS FIXOS IDENTIFICADOS E RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO
   18.1   Margens de contribuição e custos fixos identificados
   18.2   Valores que integram o cálculo da margem de contribuição
   18.3   Margem de contribuição e taxa de retorno
   18.4   Outro exemplo da aplicação da margem de contribuição ao cálculo da taxa de retorno
   18.5   De novo a alta taxa de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

19   FIXAÇÃO DO PREÇO DE VENDA E DECISÃO SOBRE COMPRA OU PRODUÇÃO
   19.1   Fixação do preço de venda
         19.1.1   Formação de preços com base em custos
         19.1.2   "RKW"
         19.1.3   Uso do ABC para fixar preço de venda
         19.1.4   Uso dos conceitos do custeio variável na fixação do preço de venda
      19.1.5   Target costing (custo meta); o uso do ABC para see chegar ao target cost
   19.2   Comprar ou fabricar
   19.3   Um caso especial na produção contínua
   Resumo
   Exercício proposto

20   CUSTOS IMPUTADOS E CUSTOS PERDIDOS
   20.1   Custo de oportunidade
   20.2   Efeito da inflação no custo de oportunidade e no resultado
   20.3   Conseqüências do custo de oportunidade e da taxa de retorno
   20.4   Custos perdidos (sunk costs)
   20.5   Custos imputados
   Resumo
   Exercício proposto

21   ALGUNS PROBLEMAS ESPECIAIS: CUSTOS DE REPOSIÇÃO E MÃO-DE-OBRA DIRETA COMO CUSTO VARIÁVEL
   21.1   Custos de reposição
   21.2   Custos de reposição com inflação
   21.3   Conciliação entre custos para decisão e para estoque
   21.4   Um problema especial: a mão-de-obra direta como custo variável
   Resumo
   Exercício proposto

22   RELAÇÃO CUSTO/VOLUME/LUCRO - CONSIDERAÇÕES INICIAIS
   22.1   Custos (e despesas) fixos
   22.2   Custos (e despesas) variáveis
   22.3   Ponto de equilíbrio
   22.4   Margem de segurança e alavancagem operacional
   22.5   Pontos de equilíbrio contábil, econômico e financeiro
   22.6   Ponto de equilíbrio econômico na inflação
   22.7   Influência das alterações dos custos e despesas fixos no ponto de equilíbrio
   22.8   Influência das alterações dos custos e despesas variáveis
   22.9   Influência das alterações dos preços de venda
   Resumo
   Exercício proposto

23   CONSIDERAÇÕES ADICIONAIS SOBRE CUSTO/VOLUME/LUCRO
   23.1   Estruturas diferenciadas e relações custo/volume/lucro
   23.2   Poder de competição e estruturas diferenciadas
   23.3   Representações gráficas de alterações no PE
   23.4   Limitações ao uso do ponto de equilíbrio
   23.5   Pontos de equilíbrio por produto
   23.6   Outra representação gráfica
   23.7   Um ponto de equilíbrio às avessas
   23.8   Taxa de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

24   CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES (ABC) - ABORDAGEM GERENCIAL E GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS
   24.1   Segunda geração do ABC
   24.2   ABC e reengenharia
   24.3   ABC e análise de valor
   24.4   ABC e gestão baseada em atividades
   24.5   Definição do escopo do projeto ABC
   24.6   Voltando ao caso do Capítulo 8
         24.6.1 Custeando produtos
         24.6.2 Custeando processos
   24.7   ABC e custeio variável
   24.8   Outras considerações sobre o ABC
   24.9   Gestão estratégica de custos
         24.9.1   Limitações dos sistemas tradicionais de custeio
         24.9.2   Princípios fundamentais da gestão estratégica de custos
   Resumo
   Exercício proposto

Parte IV - Custos para Planejamento e Controle

25   CONTROLE, CUSTOS CONTROLÁVEIS E CUSTOS ESTIMADOS
   25.1   Significado de "controle"
   25.2   Alguns problemas decorrentes de "custos para controle"
   25.3   Custos por produto versus custos por departamento
   25.4   Custos por responsabilidade; custos controláveis
   25.5   Bases de comparação
   25.6   Estimativas de custos
   25.7   Unidade de Esforço de Produção (UEP)
      25.7.1   Um exemplo
   25.8   Inflação e prazos
   Resumo
   Exercício proposto

26   CUSTO-PADRÃO
   26.1   Conceitos de custo-padrão
   26.2   Finalidades e utilidades do custo-padrão
   26.3   Fixação do padrão
   26.4   Custo-padrão e orçamento
   26.5   Influência das variações de preço
   26.6   Contabilização do custo-padrão
   Resumo
   Exercício proposto

27   ANÁLISE DAS VARIAÇÕES DE MATERIAIS E MÃO-DE-OBRA
   27.1   Padrão versus real
   27.2   Variação de materiais diretos
   27.3   Variação de quantidade
   27.4   Variação de preço
   27.5   Variação mista
   27.6   Exemplos adicionais de variações de materiais diretos
   27.7   Variação da mão-de-obra direta
   27.8   Análise propriamente dita das variações de materiais
   27.9   Análise das variações de mão-de-obra direta
   Resumo
   Exercício proposto

28   ANÁLISE DAS VARIAÇÕES DE CUSTOS INDIRETOS
   28.1   Variação total de CIP
   28.2   Variação de volume dos CIP
   28.3   Variação de custo
   28.4   Introdução de outra variação: a de eficiência
   28.5   Comparação entre o uso de duas e de três variações
   28.6   Análise detalhada da variação de custos
   28.7   Uma forma alternativa de cálculo das variações de CIP
   28.8   Análise detalhada das variações de eficiência e de volume
   28.9   Um resumo global das variações
   28.10   Considerações finais sobre as variações de CIP
   Resumo
   Exercício proposto

29   CONTABILIZAÇÃO DO CUSTO-PADRÃO - O PROBLEMA DA INFLAÇÃO
   29.1   Uma forma simplificada de contabilização à base do padrão
   29.2   Tratamento contábil das variações
   29.3   Uma forma complexa de contabilização
   29.4   Inflação e custo-padrão
   29.5   Uso de outra moeda
   29.6   Uso de padrões a valores correntes projetados
   29.7   Conceito de valor presente
   Resumo
   Exercício proposto

Parte V - Implantação de Sistemas de Custos

30   IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE CUSTOS
   30.1   Sistemas de custos - apreciações gerais
   30.2   Sistemas de custos - quantificações físicas
   30.3   Reação do sistema
   30.4   Custo do sistema e seu benefício
   30.5   Escolha do sistema
   30.6   Implantação gradativa
   30.7   "Importação" de sistemas de custos
   30.8   Problema de inflação
   Resumo
   Exercício proposto

Bibliografia
Índice remissivo


  :: Dados Técnicos

  Edição: 10ª
  ISBN: 9788522459407
  Nº de páginas: 376
  Editora: Atlas

  Ano da edição: 2010


  :: Prazo de entrega

Prazo de entrega: até 3 dias úteis para todo o Brasil.
Para pagamentos por meio de boleto bancário, acrescenta-se 1 dia útil ao prazo.
Para pagamentos por meio de depósito bancário, o pedido somente será enviado após a compensação financeira.



Brasília-DF: Asa Norte | Asa Sul | Telefone/fax: (61) 3245 8000
Horário de atendimento de segunda a sexta de 9:00 as 19:00 hs
(exceto feriados) e aos sábados de 9:00 as 18:00hs.